Menu
Cart 0

Are Some Romans Catholics Saved? (Portuguese)

  • 4500

PrintMyTract.com logoNOTE: This item is custom-printed to order (click for more details).

This tract is from our print-on-demand library, and is not kept in stock. Select the options below, and we will custom-print a batch just for you. Because this item is custom-printed, you can add your custom imprint to the back page at no extra cost.

Click here for more information about PrintMyTract.com.

Printing Time
Tract Quantity
Add Your Custom Imprint (click for more details)

 


  • SKU:
  • Full Text: Read full text below
  • Format: Folded Tract
  • Paper: Gloss Text
  • Size: 3.5 inches x 5.5 inches
  • Pages: 6
  • Estimated shipping date: Monday, December 26 (Click for more details)

The full text of this tract is shown below in the version.

“Você acredita que existem Católicos Romanos que são salvos?” é uma pergunta muitas vezes feita para nós. E muitos diriam, “Com certeza, sim, pois eles são tão sinceros!”

Claro, todos que querem ir ao céu têm que ser salvos. Mas, eles são?

E então, há uma tendência até para os crentes bíblicos de pensarem que os Católicos Romanos são salvos, devido sua sinceridade ou suas boas obras.

Mas o que diz a Bíblia?

“...Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3.3)

Os Católicos Romanos são salvos pelo Espírito do Deus vivente? Eles já tiveram uma experiência pessoal com Cristo e têm somente Ele como único e suficiente Salvador, Senhor e Mestre?

Há um ditado, “a verdade dói” e isso pode até doer para as pessoas que têm parentes e amigos na Igreja Católica. Mas temos que pregar a verdade como ela é.

Realmente existem muitos Católicos Romanos que, apesar de suas crenças, olham além de tudo e colocam sua fé no Salvador. Ah, sim, esses aceitam Cristo como seu Salvador pessoal, nascem de novo e deixam a vida velha para trás. Chamamos essas pessoas de “antigos católicos romanos, agora convertidos.”

Mas a questão aqui é a seguinte: Existem Católicos Romanos que são salvos? Quer dizer, sendo uma pessoa salva pela graça de Jesus Cristo, mas continuando na Igreja Católica.

Assim como não pode misturar fogo e água, também uma pessoa realmente salva não pode continuar sendo fiel à Igreja Católica. E mais, fazer isso seria contra os ensinamentos da Igreja: Uma pessoa que ousaria se considerar salva (isto é, ter a certeza que irá ao céu), sendo católico devoto, comete um dos pecados mais graves – o de presunção.

Mas de novo ouvimos o argumento de que os Católicos “são tão sinceros”, “tão simpáticos”, etc.

Sinceridade é bom. E se a sinceridade por si mesma poderia salvar alguém, os monges e as freiras seriam os primeiros a chegarem no céu. Mas a sinceridade não é suficiente. Deus diz, “...aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3.3) E mais, “Porque pela graça sois salvos por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;” (Efésios 2.8,9) Não há Católico que nasceu de novo e é um crente em Jesus Cristo. Eles sabem muito sobre Cristo, mas não O conhecem pessoalmente, e portanto, tentam trabalhar o suficiente para chegar até Ele.

O Catolicismo Romano é essencialmente uma religião de obras e não uma de graça como ensinado nas Escrituras. Os méritos são ganhos, ou até comprados com dinheiro mas a segurança e a alegria da salvação são ausentes apesar da satisfação derivada de adoração sincera, de solidariedade ou de uma vida de boas obras.

Mesmo que a cruz e a morte de Cristo sejam enfatizadas, as verdades salvíficas de redenção não são ensinadas. São tão misturadas com Maria, penitência, purgatório, rituais, missas, e adoração de ídolos e santos, que a salvação pela fé está completamente escondida.

Verdadeiramente, muitos Católicos, apesar de tudo, têm aceito Jesus em seus corações, em suas vidas. Mas será que, sendo salvos, ainda podem continuar sendo Católicos Romanos?

E se continuassem, eles ainda teriam que frequentar a Missa. A Missa é “o sacrifício incruento do corpo e sangue de Cristo sob a aparência de pão e vinho.” E como podem repetir o sacrifício feito no Calvário quando a Bíblia diz, “...porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.” (Hebreus 7.27) “...entrou uma vez no santuário.” (Hebreus 9.12) “Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez...” (Hebreus 9.28) “...pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.” (Hebreus 10.10) “Porque com uma só oblação...” (Hebreus 10.14)

Essas pessoas teriam que continuar confessando seus pecados ao padre, quando a Bíblia diz, “Quem pode perdoar pecados, senão Deus?” (Marcos 2.7). “...e sem derramamento de sangue não há remissão.” (Hebreus 9.22). “...e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.” (1 João 2.1).

Também elas teriam que continuar orando a Maria e os santos quando a Bíblia diz claramente, “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.” (1 Timóteo 2.5)

Para continuar no Catolicismo, as pessoas têm que acreditar que depois da morte existe um lugar chamado “purgatório”. Como isso combina com o fato de ser salvo? A Bíblia diz, “...e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” (1 João 1.7)

Algumas pesoas nos dizem que já conheceram alguns bons Católicos que falaram muito sobre Jesus e pareciam confiar nEle. Mas, pelo outro lado, se confiaram somente em Jesus para a salvação (e não há outra maneira), então por que ter a missa, a confissão, o terço, as imagens, o crucifixo, etc.? Ou uma pessoa sabe que é salvo, ou não. A salvação não é um processo gradual. Os Católicos estão falando sobre a hóstia sendo seu “Cristo”. (veja Mateus 24.23)

Nós lhe desafiamos a orar pelos Católicos e a testemunhar a eles como nunca fez antes. Eles estão perdidos e precisam de um Salvador vivo, não um que ainda está morto na cruz.

Aqueles que querem insistir que existem Católicos salvos ou não conhecem a Bíblia, ou não conhecem o Catolicismo.

Back to top of page


Related Products