Menu
Cart 0

Saved By Grace: A Priest's Testimony (Portuguese)

  • 4500

PrintMyTract.com logoNOTE: This item is custom-printed to order (click for more details).

This tract is from our print-on-demand library, and is not kept in stock. Select the options below, and we will custom-print a batch just for you. Because this item is custom-printed, you can add your custom imprint to the back page at no extra cost.

Click here for more information about PrintMyTract.com.

Printing Time
Tract Quantity
Add Your Custom Imprint (click for more details)

 


  • SKU:
  • Full Text: Read full text below
  • Format: Folded Tract
  • Paper: Gloss Text
  • Size: 3.5 inches x 5.5 inches
  • Pages: 6
  • Estimated shipping date: Friday, December 30 (Click for more details)

The full text of this tract is shown below in the version.

Eu nasci numa família Católica. O meu povo é sincero. Eles são bons Católicos com um padrão moral bem alto. E por centenas de anos minha família tem sido assim. Comecei meus estudos para ser padre imediatamente depois do 9º ano, passando os anos de ensino fundamental, ensino médio e faculdade no seminário menor. Recebi toda a instrução doutrinária da igreja Católica. Fui ordenado como padre e cantei a primeira missa em 1937 em Ohio, o estado onde nasci. Depois da ordenação eu participei numa faculdade para professores e ensinei como padre-professor por vários anos. Passei boa parte de meu tempo, porém, como padre de uma paróquia.

Mais um pecador salvo pela graça de Deus. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” (Romanos 3.23) Alguns anos atrás eu desisti de ser padre da Igreja Católica. Naquela época eu não possui a grande alegria e segurança de minha salvação. Eu saí porque as dúvidas, que se acumularam durante muitos anos, pesaram muito mais do que a veracidade da doutrina católica. Foi só em 1953 que entendi completamente o novo nascimento e aceitei pela fé a salvação oferecida gratuitamente por Deus através de Seu Filho Jesus Cristo. A simplicidade das palavras de Cristo a Nicodemos faz sentido para mim agora. A afirmação clara de nosso Senhor em João 3.3, “...Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus,” produziu em mim uma vida nova. Salvação pessoal é um presente tão precioso (Efésios 2.8) que eu não cesso de dar graças ao nosso Pai Celestial por providenciá-la. É pela graça de Deus que agora posso estar em Cristo.

Depois que deixei a Igreja Católica e comecei a estudar intensamente a Bíblia, o livro aos Hebreus (especialmente capítulo 2 e versículo 3) me incomodou muito. “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confimada pelos que a ouviram.” Uma pessoa pode se perder nas coisas aparentemente boas da Igreja Católica que ela acha difícil se livrar da igreja e acaba se perdendo na própria confusão. Qualquer pessoa, porém, pode ser livrada das garras desse sistema de filosofia e teologia se ela simplesmente olhar em fé ao nosso amável Senhor Jesus Cristo. Apesar das tradições e ensinamentos humanos, a Palavra de Deus nos diz em 1 João 5.11-13 que a fé somente em Jesus nos dará a salvação eterna. “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna: e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creais no nome do Filho de Deus.” Essa vida no Filho não tem propósito até que o novo nascimento constatado em João capítulo 3 tenha acontecido.

Depois de sair do sacerdócio e antes de me converter eu comecei uma grande revisão da doutrina Católica. Quanto mais a estudei e pesquisei, mais se tornou claro que não concordava com a Bíblia. Fiz uma comparação entre os ensinamentos de meus livros teológicos e o livro texto de Deus, a Bíblia. Tal comparação crítica nunca foi feita no seminário. Quando aparece uma diferença entre a doutrina e a Palavra de Deus, a Igreja Católica interpreta a Bíblia da forma que quer. Me deparei com a necessidade de fazer uma escolha entre a Palavra de Deus e os acréscimos – os ensinamentos da Igreja Católica. Tive que escolher a Palavra de Deus e não a palavra do homem. Somente depois de uns dois anos de estudo nas Escrituras, especialmente no Novo Testamento, ficou claro para mim que os ensinamentos da Igreja Católica, quando separados da Bíblia, muitas vezes são contrários a Ela. Comparei a Bíblia Católica e a Bíblia Protestante (versão do Rei Tiago) com meus livros teológicos e descobri que ambas as Bíblias discordavam com os livros. Descobri que as doutrinas Católicas dos sacramentos, a missa, confissão ao padre, purgatório, indulgências, adoração a Maria e a veneração dos santos, oração aos santos, o terço, medalhas, relíquias, e muitas outras coisas parecidas são todas anti-bíblicas. Percebi que a tradição não é uma fonte confiável para nos ensinar a verdade. Já que é feito pelo homem, depende da mente limitada do homem, e portanto, é falível. A Bíblia diz em Mateus 15.9, “Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.” A Igreja Católica piamente declara que reconhece a Bíblia como a Palavra de Deus, mas, na verdade, segue as tradições humanas.

Desde que confessei meus pecados a Deus e, em fé, cri em Jesus Cristo como meu único e suficiente Salvador, Ele tomou controle da minha vida. Meu único desejo é o de ser usado por Ele, para Sua honra e glória. Ele tem me dado alegria e uma esposa Cristã (Dorothea Hulpke), que antigamente foi enfermeira missionária no Congo Bêlgico. Nosso desejo é alcançar os perdidos. Estamos interessados especialmente em dar a mensagem de salvação ao povo Católico.

Depois de me converter, tive o privilégio de frequentar o Instituto Bíblico de Los Angeles. Deus tem me usado para ensinar em escolas Cristãs. Ele me deu a oportunidade de estudar num seminário Protestante e me formar como bacharel em teologia.

É nossa oração que sejamos sempre cientes dos perdidos, os que estão sem Cristo. Os Católicos especialmente estão tão ligados a um sistema que possui uma forma externa de piedade mas não tem o poder para a salvação. É nossa oração constante que possamos ser uma testemunha a eles. Me regozijo junto com Paulo, quando escreveu aos romanos, “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5.1,2)

—Harry G. Groning, B.D.

Back to top of page


Related Products